Cetta Internacional
Isec5 Solutions
C.E.T.T.A - Counter Terrorism Experts
F.T.N - Força Tarefa Nacional
 Força Tarefa Nacional

Força-tarefa (em inglêstask force) é o nome dado a uma unidade militar temporária, criada para realizar uma operação ou missão específica. O termo foi inicialmente utilizado pela Marinha dos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra Mundial, mas ganhou popularidade e hoje é parte da linguagem da OTAN. Algumas forças armadas usam o termo alternativo "força operacional". Algumas organizações civis também passaram a usar o termo "força-tarefa" para designar grupos de trabalho ou comissões eventuais criadas para desempenhar tarefas temporárias 

História

A Marinha dos EUA iniciou o uso intensivo do termo "força-tarefa" (task force) no início de 1941 para designar as forças navais temporárias organizadas como forma de aumentar a flexibilidade operacional.

Antes da Segunda Guerra Mundial, os navios de guerra das várias marinhas agrupavam-se, tradicionalmente, em frotas, nas quais uma esquadra ficava sob o comando direto do almirante (comandante da frota), outra sob o comando do vice-almirante e a outra do contra-almirante. Por sua vez, cada esquadra dividia-se em duas ou mais divisões. Os navios de pequenas dimensões agrupavam-se em flotilhas ou esquadrilhas. Apesar de, inicialmente, serem forças temporárias, no final do século XIX, as frotas, esquadras, divisões, flotilhas e esquadrilhas tinham-se tornado forças navais permanentes, às quais estavam atribuídas sempre os mesmos navios.

O conceito de "força-tarefa" criado pela Marinha dos EUA visava recriar forças navais temporárias destinadas ao cumprimento de determinadas missões, as quais eram organizadas à exata medida das tarefas a cumprir. Uma força-tarefa poderia ser organizada agrupando navios de diferentes esquadras e divisões, sendo facilmente dissolvida depois de cumprida a missão para a qual fora criada, não obrigando, portanto, a reorganizações formais e permanentes da frota. No âmbito do conceito de "força-tarefa" foi também criado o grupo-tarefa, a unidade-tarefa e o elemento-tarefa. O grupo-tarefa era uma subdivisão de uma força-tarefa que incluía várias unidades-tarefas e estas, vários elementos-tarefa. Cada elemento-tarefa correspondia a uma navio individual.

O conceito foi, posteriormente adoptado, pelas marinhas de outros países aliados, e, mais tarde pela OTAN. Conforme o país, é usado o termo original em Inglês "task force", a sua tradução direta do termo (em portuguêsforça-tarefa) ou o termo alternativo "força operacional". Analogamente são usados os termos "task group", "grupo-tarefa" ou "grupo operacional", os termos "task unit", "unidade-tarefa" ou "unidade operacional" e os termos "task element", "elemento-tarefa" ou "elemento operacional".


Organização

Segundo o modelo norte-americano, também seguido pela NATO e por outros países, as forças navais temporárias constituídas para o desempenho de determinada missão podem ser:

  1. Força-tarefa (task force) ou força operacional - sob o comando de um oficial general;
  2. Grupo-tarefa (task group) ou grupo operacional - normalmente, sob o comando de um oficial superior;
  3. Unidade-tarefa (task unit) ou unidade operacional - subdivisão, eventual, de um grupo-tarefa;
  4. Elemento-tarefa (task element) ou elemento operacional - correspondendo a um navio individual.

Tipos de força-tarefa

De acordo com os navios que agrupa e com as missões que lhes são atribuídas, existem vários tipos de forças-tarefa e grupos-tarefa. Os mais comuns são:

  • Força de batalha (battle force) - força-tarefa constituída antigamente por couraçados e atualmente por porta-aviões, além dos navios de escolta e de apoio logístico que os acompanham. Normalmente é o principal elemento de combate de uma frota, utilizado para missões aeronavais contra alvos em terra ou no mar;
  • Força de combate de superfície (surface combat force) - força-tarefa constituída por navios de combate de superfície, incluindo cruzadorescontratorpedeiros e fragatas. Normalmente tem como missão realizar operações de controlo oceânico, incluindo a proteção à navegação mercante e o ataque às forças de superfície inimigas;
  • Força anfíbia (amphibious force) - força-tarefa constituída por navios de operações anfíbias levando, embarcadas, tropas de desembarque e elementos de aviação. Tem como missão a realização de operações anfíbias;
  • Força submarina (submarine force) - força-tarefa de submarinos. Conforme o tipo de submarinos que inclui pode ter como missão a realização de ataques com mísseis estratégicos a alvos em terra ou o ataque às forças submarinas inimigas;
  • Força expedicionária marine (marine expeditionary force - MEF) - força-tarefa dos Marines centralizada numa divisão de infantaria, numa ala de aviação e num grupo logístico. É a principal força de campanha dos Marines empregue em grandes operações;
  • Grupo de batalha de porta-aviões (carrier battle group - CVBG) - é o grupo-tarefa principal de uma força de batalha, centralizando-se num porta-aviões e incluindo também navios de escolta e navios de apoio logístico. Na Marinha dos EUA, o termo foi substituído pelo de "grupo de ataque de porta-aviões" (carrier strike group - CSG) ;
  • Grupo de ataque expedicionário (expeditionary strike group - ESG) - é o grupo-tarefa principal de uma força anfíbia. A sua componente marítima, normalmente centraliza-de num navio de desembarque porta-helicópteros, incluindo também outros navios de desembarque e navios de escolta. A componente de desembarque centraliza-se num batalhão de infantaria, num elemento aéreo - composto por helicópteros e aviões de ataque - e num elemento logístico;
  • Unidade expedicionária marine (marine expeditionary unit - MEU) - unidade-tarefa dos Marines que inclui um batalhão de infantaria, uma esquadra de aviação e um elemento logístico. Uma MEU é, normalmente, destacada de uma MEF, constituindo a componente de desembarque de uma grupo de ataque expedicionário.

Designação

As regras gerais de designação, criadas na Segunda Guerra Mundial, ainda são amplamente usadas na OTAN. Cada força-tarefa era designada pelo prefixo "TF", seguido de um número de dois dígitos, o primeiro dos quais, historicamente, designava o número da frota na Marinha dos EUA e o segundo designava a própria força-tarefa dentro de cada frota. Por exemplo, a TF 17 corresponde à sétima força-tarefa da Primeira Frota. Hoje em dia, no âmbito da OTAN, são atribuídas séries de números de dois ou três dígitos a cada país, que designam as suas forças-tarefa. Cada grupo-tarefa é designado pelo prefixo "TG" seguido do número da força-tarefa a que pertence, seguido de um ponto e do número do próprio grupo-tarefa. Por exemplo o TG 17.3 é o terceiro grupo-tarefa da TF 17. As unidades-tarefa e os elementos-tarefa são designados analogamente, com os prefixos "TU" e "TE". Como exemplos, a TU 17.3.1 é a primeira unidade-tarefa do TG 17.3 e o TE 17.3.1.5 é o quinto elemento-tarefa da TU 17.3.1 .

As forças-tarefa combinadas (combined task-forces) - compostas por forças de várias nacionalidades - são designadas pelo prefixo "CTF" e as forças-tarefas conjuntas (joint task forces) - compostas por forças de dois ou mais ramos das forças armadas - são designadas pelo prefixo "JTF". Alguns grupos-tarefa especiais são designados apenas pelo seu prefixo particular e por um número que não tem em conta a força-tarefa a que pertencem. Por exemplo CSG 1 seria o primeiro grupo de ataque de porta-aviões e o ESG 2 seria o segundo grupo de ataque expedicionário.

[editar]Forças-tarefas não navais

O "conceito de força-tarefa" foi também adoptado pelos ramos não navais das forças armadas. Frequentemente, nas forças terrestres, uma força-tarefa é uma unidade eventual constituída para o desempenho de uma missão específica. Conforme a sua dimensão e organização, uma força-tarefa pode ser designada "agrupamento", "grupo" ou "destacamento".

No Exército dos EUA as forças-tarefas são designadas BCT - brigade combat team (em portuguêsequipa de combate de brigada), RCT - regimental combat team (equipa de combate regimental), TF - task force (em portuguêsforça-tarefa) e CCT - company combat team (em portuguêsequipa de combate de companhia) conforme são, respetivamente da dimensão de "brigada", "regimento", "batalhão" ou "companhia".

União Europeia criou forças-tarefa para o desempenho de missões humanitárias, de manutenção de paz ou de intervenção em caso de crises. As forças-tarefas europeias são chamadas "grupos de batalha", tendo uma constituição variável, com a dimensão aproximada de um batalhão e com cerca de 1500 militares. Cada grupo de batalha da União Europeia é liderado por um país específico, mas pode incluir forças de outros países.

O conceito de "força-tarefa" também foi amplamente adoptado no âmbito civil para designar comissões, grupos ou equipas de trabalho consituídas para o desempenho de uma dada missão, que são extintos quando a missão é terminada.


OBJETIVO E FUNDAMENTO DA CRIAÇÃO DA

 FORÇA TAREFA NACIONAL

QUE FUNCIONA NO C.E.T.T.A INTERNACIONAL



Por sermos uma empresa que atua no ramo de treinamentos táticos operacionais e de resgate. planejamentos nacionais e internacionais de segurança, tecnologia, inteligência e apoio, tivemos a brilhante ideia de aproveitar nossos profissionais ja treinados em vários seguimentos e direciona-los para uma das maiores necessidades existentes hoje em nossa sociedade que são as catástrofes e calamidades públicas, devido aos desabamentos, enchentes e situações que deixam nossa população a merce da imagem nua e cruel que atingem a todos nós, por isso hoje o C.E.T.T.A INTERNACIONAL JUNTAMENTE COM A STAM SOLUTIONS DA ITÁLIA, trabalham juntas no envio de homens bem preparados e equipados para atender em casos de catástrofes em quaisquer lugar do mundo, obvio desde que tenhamos o apoio das autoridades que possam nos conceder os materiais necessários para podermos cumprir nossa missão que é a de salvar vidas, com resgates em áreas de difícil acesso, transporte de alimentos, recolhimentos de alimentos e mantimentos, apoio médico, psicológico, assistentes sociais, todas essas pessoas preparadas para atender a minimizar a dor daqueles que perderam tudo inclusive a vida de seus entes queridos.


COMO INGRESSAR NESSA FORÇA?


  Para você militar, policial, Bombeiro, GM da ativa ou da reserva ou qualquer cidadão que deseje fazer parte dessa força, você poderá preencher nossa ficha de inscrição de curso e colocar na mesma, quero fazer parte da Força Tarefa Nacional, pagara uma taxa de R$ 50,00 reais para emissão de sua credencial e nos enviar seu curriculum, com sua experiência para avaliarmos em que condição você poderá ser reconhecido, as patentes são de combatente a General, MAS TUDO DEPENDE DA QUALIFICAÇÃO PESSOAL, onde a mesma será submetida a uma comissão avaliadora, e você será informado de sua graduação.


OBS 1: TODO PESSOAL INGRESSADO NA FORÇA RECEBERÁ, CARTEIRA DE IDENTIFICAÇÃO, E QUANDO REALIZAR MUDANÇA DE GRADUAÇÃO RECEBERÁ TAMBÉM DIPLOMA DA MESMA

OBS 2: ESSE VALOR ACIMA É PARA VOCÊ INGRESSAR COMO COMBATENTE, CASO VOCÊ DESEJE PATENTES ACIMA DESSAS, QUE SERÁ AVALIADA PELO SEU CURRICULUM, E CURSO DE ADMISÃO NA MESMA, VOCÊ DEVERÁ ACRESCENTAR R$ 50,00 REAIS A MAIS PARA CADA GRADUAÇÃO PRETENDIDA, SENDO QUE PARA CABO O VALOR JA COMEÇA COM R$ 150,00 REAIS,  QUE VAI DE COMBATENTE A GENERAL, PASSANDO POR TODAS AS GRADUAÇÕES, PORÉM A ADMISSÃO NAS GRADUAÇÕES SO SERÃO APROVADAS MEDIANTE A COMISSÃO AVALIADORA E JULGADORA, E AINDA CURSO E  PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO, RECONHECEMOS AUTOMATICAMENTE POLICIAIS, MILITARES, BOMBEIROS, GUARDAS MUNICIPAIS DA ATIVA OU RESERVA OU APOSENTADOS, NAS SUAS DEVIDAS GRADUAÇÕES DE SUAS FORÇAS


TEMOS CURSOS PARA AS SEGUINTES GRADUAÇÕES:

CABO, 3º SARGENTO, 2º SARGENTO, 1º SARGENTO, 2º TENENTE, 1º TENENTE, A PARTIR DAQUI AS GRADUAÇÕES SERÃO POR PROMOÇÃO


OBS: PARA OCUPAR AS GRADUAÇÕES DE 2º TENENTE ACIMA, TODOS TERÃO QUE TER NÍVEL SUPERIOR EM QUALQUER ÁREA


CONTA PARA DEPOSITO DE SUA AFILIAÇÃO:


BANCO: BRADESCO

AGENCIA: 87

CONTA CORRENTE: 0175994-9

FAVORECIDO: CETTA CENTRO DE TREINAMENTOS


OBS: ESTAMOS ACEITANDO DOAÇÕES EM TODOS OS SENTIDOS, DE EQUIPAMENTOS, DE SALVAMENTOS E RESGATES, VEÍCULOS QUE POSSAM SER RECUPERADOS PARA ATUAR NESSE SEGUIMENTOS, OU SEJA TUDO AQUILO QUE POSSA CONTRIBUIR PARA O CUMPRIMENTO BEM SUCEDIDO DE NOSSA MISSÃO.